ameaças de morte

Vereadora trans renuncia após

A vereadora Benny Briolli (PSOL-RJ) afirmou através de sua assessoria que está saindo do país e deixando seu mandato após sequenciais ameaças de morte sofridas.

Eleita para a Câmara de Vereadores de Niterói, no Rio de Janeiro, a vereadora sofreu ameaças e agressões verbais desde o anúncio de sua eleição, em outubro do ano passado.

Mídia | Wikipedia

Desde o fim das eleições em novembro de 2021, parlamentares negras, mulheres e LGBT têm sofrido ameaças padronizadas de morte. Foram observados casos similares em SP, em Joinville (SC), no Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

Mídia | Wikipedia

Benny Briolli segue o caminho de Jean Wyllys, ex-deputado federal do PSOL-RJ, que também saiu do país em 2019. O parlamentar havia deixado seu cargo após ser re-eleito em 2018.

Primeira vereadora trans e negra da história de Niterói, afirma-se que, no momento, é importante priorizar a segurança de Benny.

“São incontáveis as agressões que [Benny Briolli] sofre nas ruas e nas redes. Como, por exemplo, um e-mail citando seu endereço que exigia sua renúncia do cargo; caso contrário iriam até sua casa mata-la.”, afirmou em nota.

Mídia | Wikipedia

“Para assegurar sua vida, o Psol precisou tomar uma medida drástica de tirar Benny do país”, afirmou a nota.

Mídia | Wikipedia

INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE É NO HYPENESS