Uma área carente de mulheres negras e indígenas

Tecnologia

No campo de tecnologia e inovação, as equipes são formadas predominantemente por homens brancos. Mulheres - principalmente negras ou indígenas - são minoria

É o que aponta uma pesquisa realizada pelo Olabi, organização que busca democratizar a produção tecnológica em prol da diversidade

Para alertar sobre o tema, a instituição lançou o estudo Pretalab. São entrevistas, dados e vídeos que mostram como mulheres são invisibilizadas no campo

Foram reunidas 570 histórias de mulheres negras e indígenas entre 17 e 67 que trabalham com tecnologia nas cinco regiões do país

Entre elas, o machismo e o racismo sofrido já se tornaram rotina e a dificuldade de acesso a meios formais de educação parece ser uma constante

Só 22% das entrevistadas começou a trabalhar com tecnologia por meio de uma instituição formal de ensino – como escolas ou universidades

Em compensação, mais da metade delas acredita que a internet e grupos informais de apoio são a melhor maneira de aprender sobre a área

Quase tudo no campo da inovação é caro, em inglês e são raras as políticas destinadas ao ingresso e permanência dessas mulheres nesses espaços

Mesmo sem tantas referências e encarando dificuldades na hora da contratação, é necessário se recusar a aceitar esse tipo de segregação

Afinal, se os apps refletem as diversas necessidades do dia a dia, deixar uma parcela da população de fora dessas decisões não é só discriminatório, mas perigoso

INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE É NO HYPENESS