A primeira indígena curadora de um
museu no Brasil

Sandra Benites

Antropóloga, arte-educadora e artesã, Sandra Benites se tornou a primeira indígena contratada como curadora de um grande museu brasileiro, o MASP

Doutoranda em Antropologia Social pelo Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Sandra enxerga em seu trabalho um propósito maior

Natural da etnia Guarani Nhandewa, da aldeia de Porto Lindo, no Mato Grosso do Sul, Benites procura utilizar a arte como ponte entre os povos indígenas brasileiros e as populações de outras origens

“O que mais gosto é perceber as narrativas – todos possuem um jeito de contar uma história”, diz Sandra, que atuará na curadoria de arte brasileira do MASP

“O que une os povos indígenas é nossa visão do mundo e como nos relacionamos com nosso território”

No doutorado, a pesquisa da curadora trata sobre como os povos guaranis enxergam o corpo feminino

Para 2021 no museu, Sandra planeja fortalecer a presença de vozes nativas na programação do MASP

Ela já vinha trabalhando com educação indígena desde 2004, já tendo sido professora de artes e coordenadora pedagógica

Entre 2017 e 2018, Sandra também foi curadora da exposição “DjaGuata Porã: Rio de Janeiro Indígena no Museu de Arte do Rio”

INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE É NO HYPENESS

CLIQUE AQUI E LEIA MAIS!