Salvador deve ficar sem

AZEITE DE DENDÊ

O jornal “Correio da Bahia” avisa: Salvador corre risco de ficar sem azeite de dendê, óleo fundamental para produzir iguarias como acarajé, moquecas baianas e abará

De acordo com o folhetim baiano, o problema está na safra de 2020 e na compra excessiva do óleo para a produção de biodiesel

Na Feira de São Joaquim, para onde os distribuidores do óleo mandam boa parte do produto, diz-se que a produção rendeu muito abaixo do esperado para o consumo

Com a escassez, vieram os preços absurdos. De acordo com o “Correio”, o balde com 16 litros da iguaria líquida quase dobrou

O valor de outros produtos que fazem o acarajé, por exemplo, como o feijão fradinho e cebola, também subiram

O jornal baiano conta que o azeite de dendê já acabou nas fábricas. O que ainda resta do óleo na Bahia é o que foi guardado pelos restaurantes e pelas baianas do acarajé

Como se o cenário não pudesse ficar pior, o azeite do Pará, que poderia servir como um substituto ao dendê, tem tido sua produção escoada apenas para exportações

Produtores localizados nos municípios da Costa do Dendê dizem que a safra de 2020 foi de 20% a 30% menor do que a do ano anterior

Outro agravante tem sido a crescente compra do óleo por empresas de petróleo, como a Petrobras, para a produção do biodiesel. Contudo, a previsão é que a situação normalize até 2021

INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE É NO HYPENESS

CLIQUE AQUI E LEIA MAIS!