BORBA GATO

Quem foi

crédito: Mídia | G1

No último sábado, manifestantes incendiaram a estátua que homenageia o bandeirante Borba Gato em Santo Amaro. 

Borba Gato foi um bandeirante responsável pela escravização e morte de pelo menos centenas de indígenas e negros no Brasil.

crédito: Mídia | MultiRio

As homenagens a Manoel de Borba Gato foram forjadas entre a Belle Epoque paulista e a Revolução de 1932. Os bandeirantes passaram a ser símbolo de um estado que possuía pouca ou nenhuma identidade forjada fora da negritude e dos povos nativos.

Mídia | Descubra Sampa

Borba Gato comandou uma das primeiras empreitadas para a exploração de ouro do estado de Minas Gerais, em Sabará, onde o processo de escravização dos negros foi extremamente grave. O local se tornaria referência para o modelo de exploração aurífera no país.

Mídia | Acervo Estadão

As homenagens desproporcionais a Borba Gato e aos bandeirantes no geral mostram mostram que muito da identidade paulista se focou em figuras racistas e genocidas que forjaram o racismo estrutural em nosso país.

Mídia | Ecologia dos Saberes

“A confiança pode ser estabelecida, mas leva tempo. Eu genuína e profundamente me importo com as pessoas que fotografo, e acredito que isso surge durante nossa interação inicial. Conversamos e dividimos histórias e descobrimos pontos em comum – e assim o respeito se estabelece”, contou Craig ao site Bored Panda.

Mídia | Descubra Sampa

“Os bandeirantes abriram caminho para nossa civilização perpetuar crimes como estes que ocorrem até hoje. Borba Gato ficou famoso por massacrar índios e estuprar índias”, explica o documentarista Paulo Cesar Pereio, em entrevista ao Extra.

Mídia | Revista Continente

INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE É NO HYPENESS