ANTIFASCISMO

Professores são investigados por

Dois professores da Universidade Estadual do Ceará terão de prestar depoimento à Polícia Federal por se declararem antifascistas durante a eleição de 2018.

Os docentes da área de filosofia estão sendo denunciados por um grupo de alunos cristãos da instituição por terem ‘coagido’ estudantes a não votarem em Jair Bolsonaro.

Segundo os professores, tudo começou porque eles ministraram uma aula pública comparando as falas e propostas do então candidato à presidência Jair Bolsonaro aos movimentos fascistas dos anos 20 e 30.

O processo tem como base o artigo 301 do Código Eleitoral, que fala sobre “usar de violência ou grave ameaça para coagir alguém a votar, ou não votar, em determinado candidato ou partido, ainda que os fins visados não sejam conseguidos".

Os docentes terão de prestar depoimento à Polícia Federal por não se posicionarem a favor do fascismo.

Segundo a advogada dos professores, "a única coisa que consta é que os professores declararam o que eles realmente são: antifascistas. E estavam falando, naquele momento, para os acadêmicos do curso de filosofia contra o fascismo", disse ao G1.

INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE É NO HYPENESS