A primeira tatuadora

do Reino Unido

Jessie Knight era uma mera atiradora circense com um sonho simples; ela desejava ser tatuadora.

Seu marido não aceitava que ela fizesse sua arte. Após seu cônjuge chutar um cachorro, ela atirou nele - sem intenção de matar - e conseguiu acabar com o casamento.

Então, ela assumiu a vida que sempre quis: a de tatuadora.

A partir dos anos 40 ela foi popularizando a arte da tatuagem e se tornou um dos principais nomes da Inglaterra na arte.

Knight enfrentou muitas dificuldades e preconceito de uma Inglaterra ainda preconceituosa com as tatuagens, que, naquela época, ainda eram objeto de associação com criminalidade e marginalidade.

Knight lutou contra esse estigma e chegou a participar de um concurso nacional de tatuadores em 1955, ficando em segundo lugar. Segundo fontes, ela só perdeu o prêmio por ser mulher.

Ela abandonou as tatuagens nos anos 60, após 20 anos tatuando. Sua história acabou esquecida por muito tempo - a própria Knight era muito reservada sobre sua trajetória -, mas agora ela vem à luz para inspirar milhares de tatuadoras pelo mundo.

INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE É NO HYPENESS