FLORESTAS

O papel dos indígenas na preservação das

O desmatamento e o cuidado da Floresta Amazônica é uma das maiores preocupações de todo o mundo. Se a devastação florestal só avança, existe um grupo capaz de impedi-la: os povos indígenas.

Um relatório da ONU produzido pelo Organização das Nações Unidas e a Agricultura (FAO) que reuniu mais de 300 estudos científicos mostrou que os povos indígenas são essenciais para a conservação florestal no Caribe e na América Latina.

Os dados mostram que políticas para preservação de povos indígenas e manutenção dessas comunidades podem ser tão ou mais eficazes que simples políticas de preservação.

Entre 2000 e 2012, as terras indígenas na Amazônia evitaram a emissão de entre 42,8 e 59,7 milhões de toneladas de carbono na atmosfera, algo próximo a tirar de circulação 9 a 12 milhões de carros anualmente.

“Entre 2006 e 2011, os territórios indígenas da Amazônia peruana reduziram o desmatamento duas vezes mais que outras áreas protegidas e com condições ecológicas e de acessibilidade similares”, diz o texto.

O relatório lembra que a preservação inclui também a fauna de tais regiões: os territórios indígenas no Brasil possuem um número maior de espécies de mamíferos, pássaros, répteis e anfíbios do que todo o restante do território nacional.

Entretanto, os dados mostram preocupação ao mostrar que o enfraquecimento dessa proteção pode nos levar a um caminho contrário. Entre 2016 e 2018, o desmatamento na T.I Yanomami, no Brasil, cresceu 150%.

INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE É NO HYPENESS