Leitores da saga são pessoas melhores, diz estudo

Harry Potter

Pessoas emocionalmente ligadas à história de “Harry Potter” são menos preconceituosas e, consequentemente, mais abertas às minorias

É o que comprovou um estudo publicado no Journal of Applied Social Psychology, após diversas pesquisas de campo com crianças, adolescentes e adultos

Loris Vezzali, professor da Universidade de Modena e Reggio Emilia, foi o principal autor do estudo. Ele explica:

“Harry Potter tem empatia com personagens de categorias estigmatizadas, tenta entender os seus sofrimentos e agir em prol da igualdade social (...) Os sentimentos empáticos são o fator chave que impulsiona a redução do preconceito”

“O mundo de Harry Potter é caracterizado por hierarquias sociais rígidas e por preconceitos resultantes, com óbvios paralelos com a nossa sociedade”

De fato, ao longo da saga, os personagens enfrentam todas as dificuldades de serem diferentes: Harry e sua cicatriz, Rony e suas roupas de segunda mão e Hermione por ter pais não-bruxos

Apesar de haver muitos grupos diversificados nos livros, o tema abrangente é ser gentil com os outros, independentemente de quão diferentes eles sejam

Há também uma ênfase no quão preconceituoso é o lado mal e nunca há dúvidas de que o lado bom nutre amizades independente das diferenças

Assim, estar exposto a esses exemplos torna os amantes de “Harry Potter” pessoas mais tolerantes

Nas palavras de Alvo Dumbledore: “Diferenças de hábito e linguagem não são nada se nossos objetivos são idênticos e nossos corações estão abertos”

INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE É NO HYPENESS

CLIQUE AQUI E LEIA MAIS!