TRANS

em Bangladesh

 escola islâmica para meninas

Em Bangladesh, no sudeste asiático, há muitas pessoas trans. O chamado ‘terceiro sexo’ ou ‘hijira’ pela cultura local é uma forma de expressão de gênero singular e não-binária.

Apesar de reconhecida pelo estado e também pela religião, os hijiras acabam sofrendo muito preconceito por parte de setores mais conservadores da sociedade bengalesa.

Por isso, a fundação Ahmad Ferdous Bari Chowdhur decidiu fundar a Madrassa Terceiro Sexo Dawatul Koran, uma escola islâmica que vai auxiliar crianças e adolescentes trans na formação religiosa e profissional.

“Não estabelecemos limite de idade na escola. Qualquer pessoa pode ser admitida tão logo ela se identifique como alguém transgênero, não importa a idade”, explica o secretário de educação e treinamento da madrassa, Mohammad Abdul Aziz Hussaini, à “BBC”.

“Ninguém quer nos contratar. Se tivéssemos alguma educação formal, poderíamos ter trabalhado em outro lugar melhor, mas não há sistema de ensino. Queremos caminhar com dignidade”, afirmou Shilpy, um dos alunos da nova escola.

Há uma estimativa de cerca de 50 mil hijras no país, mas o governo reconhece que existam apenas 10 mil. 86,6% da população de bangladesh é muçulmana.

INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE É NO HYPENESS