Como conversar com

QUEM PENSA DIFERENTE?

Realizada pelo site “PapodeHomem” e pelo Instituto Avon, uma pesquisa de 2019 apresentou dados sobre a disposição de brasileiros para sustentar discussões com pessoas de pensamento contrário

No 6º Fórum Fale sem Medo — um dos principais eventos brasileiros para discutir a violência contra mulheres e meninas —, o estudo ouviu mais de nove mil pessoas pelo Brasil

Entre os achados apresentados durante o evento está o dado de que 70% dos entrevistados acredita que conversar com quem pensa muito diferente é algo positivo

“Se você está tentando navegar pelo mundo e seu cérebro está constantemente trazendo memórias conflitantes à tona, fica mais difícil para você tomar uma decisão informada”, diz Blake

“O restante não tem interesse em buscar ativamente esses diálogos ou não sabe como fazê-lo”, explica Guilherme Valadares, fundador do “PapodeHomem”

Entre os obstáculos estão a agressividade das conversas, apontada por 64% do público, seguida de radicalismo e falta de energia

A frase “furar a bolha é estratégia”, dita pela filósofa Djamila Ribeiro em uma de suas entrevistas, é a folha de rosto do livro gratuito disponibilizado pela pesquisa

“Escolhemos esse tema porque entendemos que, para construir esse mundo, é necessário senso de corresponsabilidade”, afirma Mafoane Odara, coordenadora de projetos do Instituto Avon

“A construção desse senso depende de valores e objetivos compartilhados entre as pessoas, que, por sua vez, só podem ser construídos por meio do diálogo”

INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE É NO HYPENESS