VENCEU A PANDEMIA

de gripe espanhola

Carlos Chagas

O Rio de Janeiro de 1918 enfrentava uma grave crise sanitária com milhares de mortos, lotação de leitos de hospital e nenhuma coordenação de saúde pública. O principal inimigo? O vírus influenza H1N1, também conhecido como ‘Gripe Espanhola’.

Estima-se que 1,5% da população da cidade tenha sido vitimada pela tragédia sanitária causada pela pandemia de gripe espanhola. Até o presidente da República, Rodrigues Alves, morreu em decorrência da traumática doença.

O então diretor de saúde do governo federal, Carlos Seidl, achava que a doença não passava de uma gripezinha, mas a pressão pela sua saída do comando da saúde foi tamanha que ele foi substituído por Carlos Chagas, então diretor do Instituto Oswaldo Cruz (atual Fiocruz).

O médico infectologista, biólogo e sanitarista brasileiro tomou medidas drásticas para combater a pandemia e venceu a ‘Hespanhola’ de maneira eficaz, mostrando, há mais de 100 anos, que era possível combater a pandemia através da boa gestão.

Ele começou a recomendar o distanciamento social, ensinou a população a lavar as mãos e viu que a informação certa poderia ser a chave para combater a pandemia.

Chagas criou uma coordenação para conter a pandemia no Rio e em São Paulo: criou hospitais de campanha, postos de atendimento e instaurou uma espécie de isolamento social, fechando as escolas e impedindo grandes aglomerações para conter o vírus.

As medidas de Carlos Chagas na saúde pública foram tão importantes que foram o pontapé para o Ministério da Saúde. Foi assim que começou a ideia de um Sistema Único de Saúde, o nosso querido SUS.

INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE É NO HYPENESS