Eterna madrinha do samba

BETH CARVALHO



Em 5 de maio de 1946, nascia Elizabeth Santos Leal de Carvalho, a eterna madrinha do samba, Beth Carvalho


Criada na Zona Sul do Rio de Janeiro, Beth Carvalho aprendeu a tocar violão ainda quando pequena, período em que a bossa nova fazia grande sucesso

 Divulgação / Acervo TV Globo




Aos poucos, a botafoguense de coração começava a se envolver com os grandes nomes do samba 

 Divulgação / Acervo TV Globo

“Andança” (1968), seu primeiro sucesso, ficou em terceiro lugar no Festival Internacional da Canção, e, depois disso, Beth decidiu abraçar o gênero que a tornou conhecida



Foi ela quem redescobriu lendas do samba como Nelson Cavaquinho e Cartola e conseguiu fazê-los voltar aos palcos



A sambista também foi a responsável por descobrir o bloco carnavalesco Cacique de Ramos e por abraçá-lo como se fosse seu 

Divulgação / Jornal O Globo


Beth ainda lançou as carreiras de nomes como Arlindo Cruz, Zeca Pagodinho, Jorge Aragão e o grupo Fundo de Quintal. Todos, aliás, viraram seus amigos 

Reprodução / Zeca Pagodinho


E, claro, eternizou sucessos como "Vou Festejar", "Coisinha do Pai", "Volta Por Cima", "Camarão Que Dorme a Onda Leva" e muitos outros

 Reprodução / Indie Records


Beth Carvalho faleceu em 30 de abril de 2019, vítima de uma infecção generalizada, ou sepse, mas deixou um grande, incrível e eterno legado

imagens

Produção dos web stories

textos

Kathleen Santiago
Renata Beatriz

Getty Images, Divulgação (Acervo TV Globo e Jornal O Globo) e YouTube

Alexandre Matias

INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE É NO HYPENESS