32 mil anos

Como a ciência germinou uma flor de

Na Sibéria, há um dos maiores repositórios de espécies congeladas do mundo: o permafrost.

Com o derretimento dessa camada de gelo profundo causado pelo aquecimento global, pesquisadores estão tendo acesso a diversas espécies do passado e entendendo como elas funcionam.

Um grupo de cientistas descobriram uma flor que estava congelada há 32 mil anos e decidiram tentar germiná-la.

Em tubos de ensaio, os pesquisadores europeus foram capazes de germinar a planta que estava congelada há 32 mil anos.

“A planta conseguiu sobreviver a este intervalo de tempo com sorte devido a algumas condições. Uma é que estava provavelmente seco quando ela foi armazenada em profundidade suficiente na Terra, porque algo deve ter acontecido, que não sabemos o que, que a enterrou bem fundo”, afirmou a bióloga Margit Laimer, da equipe austríaca que germinou as sementes.

A descoberta é importante por mostrar a possibilidade de conhecermos melhor o passado de nosso mundo.

INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE É NO HYPENESS

CLIQUE AQUI E LEIA MAIS!